Babysense

O Babysense está constantemente a monitorizar o seu bebé. Se parar de respirar durante 20 segundos ou se a respiração baixa para menos de 10 movimentos por minuto o alarme dispara. Evitando assim o síndrome de Morte Súbita do Latente.

Existe desde 1991 e está certificado internacionalmente como dispositivo médico, e encontra-se registado no Infarmed e na Associação Nacional de Farmácias.

Existem dois modelos disponíveis Babysense II e Babysense 5.

A Marpromed procura disponibilizar este produto à maioria dos seus clientes, para isso disponibiliza em duas modalidades para aquisição ou aluguer mensal.

Para mais informações contacte-nos.


Características:

  • O microprocessador instalado na unidade de controlo do Babysense está constantemente a monitorizar os movimentos do bebé, até mesmo os mais pequenos!
  • O Babysense vem equipado com dois sensores que se colocam debaixo de colchão de forma a atingir a mais elevada sensibilidade ao mínimo movimento, sem tocar no bebé. Os sensores estão ligados ao controlo, onde se encontram as pilhas. Não existindo fonte de alimentação externa, elimina-se risco de electrocussão.

Especificações:

  • Enquanto o bebé ainda não rebola nem gatinha pela cama deverá utilizar apenas um sensor.
  • Assim que o bebé começar a movimentar-se coloca-se o segundo sensor, de modo a abranger a área total do berço, para se captar vibração em toda a dimensão do colchão.
  • Pode ser usado na alcofa. (Desde que o estrado da alcofa seja uma superfície plana e estável do tipo contraplacado ou ripas, algo imprescindível para o monitor poder operar corretamente.)

Nesta situação utiliza-se 1 só sensor.

(Minimiza os falsos alarmes quando a criança começa a movimentar-se no berço, uma vez que as duas placas sensoras cobrem toda a área, possuindo a maior cobertura de área de todos os monitores do género.)

Em caso de paragem respiratória, o monitor emite um sinal sonoro de 85dB, suficientemente alto para ser ouvido em qualquer divisão de uma casa, mesmo quando a porta do quarto do bebé está fechada.

Os bebés prematuros ou de alto risco devem ter a supervisão de um profissional de saúde ou de um médico!